terça-feira, 1 de abril de 2014

WITCHHAMMER (MG)



Entrevista com a Lendária Banda Witchhammer, nas palavras de Casito Vocalista e Baixista.


Comando Metal Zine – Porque o Witchhammer encerrou as atividades nos anos 90? E como aconteceu o retorno?

Nos meados dos anos 90 a cidade estava quase morta. Em outras capitais também a coisa esfriou. Tocávamos fora raríssimamente, poucos lugares, poucos convites. Foi uma época desanimadora. Nesse intervalo, eu e Teddy viemos a participar de um projeto musical juntos, mas sempre a banda aparecia nas conversas, inevitavelmente. Combinamos de tocar uma meia-horinha um dia, no estúdio onde o Paulinho então ensaiava com o My Fault, banda ainda viva que eventualmente se agrupa e toca, e participa muito colaborativamente em nosso círculo de amigos. Demos uma lembrada nas coisas, tocamos lá, e sem mais, vimos que estávamos de volta.



Comando Metal Zine – Nesse retorno a banda voltou quase com a formação original... Onde encontraram o novo integrante?

O Rogério Sena tocava numa banda cover de Ozzy e ficamos bem impressionados com ele. O Teddy conhecia ele e deu a sugestão. Ele apareceu pra um teste, tocamos algumas coisas da banda juntos e então vimos nas mãos, e também nos olhos, atitudes e jeito de ser dele, que ele era da família. Na verdade, ele é aquele bebê que nasce da própria bruxa, no encarte do disco The First and the Last ! Hahahahaha...

 

Comando Metal Zine –  O que vocês fizeram nesse tempo em que o Wichhammer ficou parado? Estiveram envolvidos em outros projetos musicais?

Como disse, eu e Teddy tocávamos em bares e clubes pelo estado com a banda Fluid. O Teddy também participou da banda Refen, quando morava em Betim. Eu também participei das bandas Virgin Again, Freak e Trilogia. Paulinho toca ainda no My Fault. Teddy também é hoje baterista da banda Concreto, irmãos nossos. Em tempo, na banda My Fault, Paulinho toca baixo.



Comando Metal Zine - Na época do álbum “The First  and The Last” vocês entraram vestidos de médico no palco. Como surgiu a idéia? Qual era a reação do público?

Na verdade a ideia nasce quando nós resolvemos fazer um disco com o tema "medicina". Todas as letras passam pelo fio deste tema. A foto e encarte também seguiram a mesma temática e a transferência disso para o palco foi natural. Tinha que ser assim. Esses dias, conversando com Kelson Frost, artista que nos presenteou com a capa do Mirror, my Mirror, e também vocalista da banda Gothic Vox, ficamos tristes em vermos que o Metal deu pouca chance à arte, às fusões, experimentalismos e também foi tímido no trato com o  teatro, com a poesia, fogos, fumaça, performances, esse tipo de coisas que se integram com música e entre si também, sabe? Sempre tínhamos algo assim na manga, o público sempre esperava uma novidade de nós, umas roupas estranhas (uma vez, saímos todos juntos com as roupas do Mirror, my Mirror... hahahahahahahaha), as performances de Sylvia Klein e suas roupas esvoaçantes, covers inusitados, tipo, Raul Seixas ou Creedence. O público pirava quando entrávamos e também era muito louco e divertido ir rasgando a roupa de médico aos poucos durante o show, até que ficássemos com nossas roupas reais, que usávamos por baixo. O povo rachava.

 

Comando Metal Zine – Como você compara “The First and The Last” com “Ode  To Death”?

A vontade e a raça são as mesmas, as mãos é que hoje estão melhores. A voz, os joelhos e as costas é que pioraram muito...
Comando Metal Zine – Recentemente saiu a notícia que o Witchhammer regravou o seu 1º álbum The First and The Last?

Sim, é verdade. O álbum já está todo reformulado nos compassos certos e já estamos em estúdio.



Comando Metal Zine – Vocês pensam em relançar os outros albuns, porque somente Mirror my Mirror foi relançado pela Cogumelo?

Pensamos ainda em relançar o The First num pack com o Blood on the Rocks remasterizado e limpo. Quem sabe?


Comando Metal Zine – O Witchhammer pensa em lançar um Dvd, seria histórico !!!

Estamos produzindo um DVD documental juntamente com o genial Richardson Pontone. Ele se chamará "Witchhammer: somos feitos de pessoas", a ser lançado ainda no primeiro semestre.



Comando Metal Zine – O Witchhammer foi um dos pioneiros a introduzir vocais líricos, hoje em dia várias bandas fazem isso...

Não sei se elas tem como referência nossas gravações, mas é legal ser pioneiro em coisas. Temos muito orgulho dessa salada que fizemos.

Casito


Comando Metal Zine – Como é o trabalho de criação das músicas do Witchhammer?

Tudo gira bem próximo de algo como 50% de uma criação individual em casa,  e os outros 50% em estúdio, juntos. Os vocais quase sempre se sobrepõem às gravações dos instrumentais em CD. Depois, aquela polida final em estúdio, seguida de experimentações de solos e timbres. Mas pode ser que não seja nada disso também...hahaha.



Comando Metal Zine – Como surgiu a idéia de regravar uma música do Sagrado Inferno e porque a escolha de Perseguição?

Até hoje somos amigos dos caras e temos contato com eles. Fomos criados juntos, na mesma vizinhança na zona leste, e eles foram responsáveis diretos por existirmos, não só pelo pioneirismo deles mas também pelos conselhos e aulas que tínhamos com eles. A música Perseguição foi uma das várias que estávamos praticando. Vamos regravar todas as músicas deles, com participação de alguns dos músicos originais e o filho do baixista Marcos, que hoje tem uns 16 anos e arrebenta na guitarra. E tem uma inédita, nunca gravada nem tocada antes, Buraco Negro.

Paulo Caetano


Comando Metal Zine – Qual foi a emoção de tocar ao lado do Chakal, Sextrash, Holocausto no aniversario de 20 anos da Coletânea Warfare Noise?

Imensa. Nós somos os fodas do pedaço, somos todos muito sinceros.



Comando Metal Zine – O Korg do Chakal disse que tem saudades dos anos 80 de Belo Horizonte. Vocês também sentem saudades?

Sinto saudades também. Do que éramos e da liberdade que respirávamos. A mata ainda era virgem e era prazeroso desbravá-la, a pé e com nossos facões na mão. Passar de SUV na estrada asfaltadinha de hoje também tem suas vantagens, mas o suor é bem menor e a gente acaba acumulando muita gordura hoje em dia.




Comando Metal Zine – O que você achou do Documentário Ruído das Minas?

Excelente e indispensável para o mundo.



Comando Metal Zine – Em uma revista antiga, você fala que o seu sonho era abrir para o Black Sabbath original ou Slayer, ainda permanece com o mesmo sonho?

Sim, ainda é meu sonho.

Teddy


Comando Metal Zine – A maioria dos integrantes da Banda são professores, o que que você acha da Educação em geral no Brasil?

A educação de hoje está munida de gente trabalhadora e séria. Não se entra nessa se não tiver coragem. Somos os profissionais mais dispostos a dar duro. Porém, o professor no Brasil ainda falta ser reverenciado pelo 'imperador', como o Japão nos ensina. Ainda vamos ensinar pessoas em lugares onde médicos recém-formados filhinhos-de-papai se recusam a ir. Como sempre, ainda somos os maiores guerreiros da pátria, a linha de frente, e não coincidentemente, a que mais leva tiro, a que morre mais rápido na guerra.


Rogerinho

Comando Metal Zine – E a agenda de shows como estão?  

Este ano participaremos do festival de quatro dias, o Camping Rock, em Baldim, Minas Gerais. Tocaremos com Chakal e Concreto na mesma noite, o Cólera fecha a noite. Temos ainda um show no Mercado das Borboletas e estamos em negociação para tocarmos com uma revelação do Thrash mundial que está surgindo avassaladoramente por aí. Não posso ainda falar mais sobre esse show. Muitos outros shows estão em vias de acontecer, estamos combinando coisas para outros estados com novos produtores.


Comando Metal Zine- Como funciona a montagem do setlist?

Basicamente, ele deve ter músicas que contemplem todos os álbuns. Partimos também da análise da duração dos shows, que pode variar muito, e que influencia diretamente na composição da escolha e sequência de músicas.



Comando Metal Zine – Vocês estão compondo músicas novas? Tem previsão de novo disco?

Com os trabalhos de estúdio terminados para a regravação do primeiro álbum, estamos compondo novas e já finalizando algumas. O disco será chamado METALANGUAGE...



Comando Metal Zine - Agradeço pela entrevista, fale quais os planos para o futuro?

Primeiramente, ficarmos bem de saúde na terceira-idade que se aproxima, tocarmos com o Slayer ou o Black Sabbath, e que nossas mãos, fígados, pulmões, voz, ideias e atitudes nunca pereçam ou deixem de funcionar direito. Muito honrado, eu é que agradeço. Abraços a todos. Inté.

2 comentários:

  1. Excelente matéria! Parabéns ao Comando Metal Zine! E que os sonhos se concretizem para todos nós!

    ResponderExcluir